29.5.13

Bate papo com cineasta e atores do filme "Colegas" leva grande público ao CEPROVI



Evento foi organizado pelos vereadores Alexandre Viola, Ana Genezini e Dario Pacheco


Nesta segunda-feira, 27, o auditório do CEPROVI esteve lotado para prestigiar a visita do diretor, roteirista, produtor e editor do filme nacional “Colegas”, Marcelo Galvão, dos atores Ariel Goldenberg (Stalone) e Rita Pokk (Aninha) e de Aleksandra Zakartchouk, diretora de comunicação do filme. A equipe veio à Vinhedo relatar a experiência de produzir um longa-metragem estrelado por atores com Síndrome de Down e contar outras curiosidades do trabalho.

O evento, com início às 15h30, foi aberto pela mesa diretiva composta pelos vereadores Alexandre Viola (PPS), Dario Pacheco (PSDB) e Ana Genezini (PTB), que também representou a presidência da Câmara; pelo vice-prefeito e secretário de Educação Jaime Cruz, representando o Poder Executivo vinhedense; pela secretária de Assistência Social, Claudinéia Vendemiatti Serafim; e pelo diretor da obra Marcelo Galvão. Os vereadores Nil Ramos (PTB) e Paulinho Palmeira (PSB) também representaram o legislativo vinhedense na cerimônia.

Claudinéia foi a primeira a se pronunciar, parabenizando o empenho das entidades vinhedenses que trabalham com portadores de deficiência intelectual. Alexandre Viola, na sequência, considerou o evento um marco na história do município, pois mostra ao vinhedense que não há limites à perseverança e é um meio de promover a inclusão social na prática.

Dario Pacheco, mais descontraído e admirado com os autores do filme e os alunos das entidades CEIVI, Lar CAB e Apabex, revelou: “decidi ser médico porque não consegui ser artista”. Para ele, todos têm alguma deficiência e a gente aprende com as diferenças.

Jaime Cruz, por sua vez, afirmou que “é preciso ter coragem para romper as barreiras e repassar uma nova mensagem ao público”, se referindo à inovação que o filme Colegas representa no cenário cinematográfico nacional, ao estrelar três atores com Síndrome de Down como protagonistas da trama sem ter a doença como tema base da obra.

Encerrando o pronunciamento das autoridades, Ana Genezini agradeceu enfaticamente a grande presença da população vinhedense que lotou o auditório do Ceprovi. “O que veremos nessa tarde marcará as nossas vidas, é um momento para abrirmos nossos corações”, concluiu a parlamentar.

Antes do bate papo com a equipe do filme, as entidades sociais APABEX (Associação de Pais Banespianos de Excepcionais), CEIVI (Centro Educacional Integrado de Vinhedo) e LarCab (Lar Carlos Augusto Braga), realizaram apresentações teatrais e musicais que movimentaram a plateia, em especial os alunos da E.M. Integração que prestigiavam o evento.

Marcelo Galvão abriu a palestra da equipe do filme por volta das 16h15. Carioca, mas criado em Campinas, o diretor tem grande afinidade com Vinhedo, já que passou boa parte de sua infância e adolescência passeando pelo município ou curtindo a outrora movimentada noite vinhedense. Com relação à produção do filme, Marcelo Galvão diz ter se inspirado em seu tio com Síndrome de Down para fazer o longa-metragem, já que seu objetivo principal era repassar ao público o carisma e a alegria das pessoas com down, características inerentes a seu tio. “O filme por não querer falar sobre deficiência se torna um veículo de inclusão social na prática, em 5 minutos da trama o espectador esquece que os protagonistas têm Síndrome de Down e passa a compartilhar das mesmas emoções que o personagem”, afirmou.

Ariel Goldenberg e Rita Pokk também narraram suas experiências na gravação de “Colegas”. Ariel, descontraído, cochichou para Marcelo Galvão que pedisse verba para gravação de um novo filme, enquanto Rita, mais emocionada, agradeceu ao apoio dado por toda equipe na produção do longa e disse ter vivido o grande momento de sua vida na gravação.

Antes de encerrar o encontro, Marcelo Galvão ainda apresentou trailers e making-ofs do filme, além da campanha lançada há alguns meses na internet para que Ariel Goldenberg realizasse seu sonho de ver a pré-estreia do filme ao lado de seu ídolo, o ator norte-americano Sean Penn. A presença do astro na pré-estreia não foi possível, mas Ariel e sua esposa Rita Pokk se encontraram com Sean Penn no dia de 15 de março, na casa do ator em Los Angeles, e ainda ganharam de presente o certificado autografado recebido em virtude do Oscar ganho por “I am Sam”, filme de 2001 em que o ator interpreta um homem com distúrbios mentais que luta para cuidar de sua filha.


O filme


“Colegas” estreou em 1º de março de 2013 e foi aplaudido de pé em todos os eventos cinematográficos pelos quais passou, vencendo o prêmio Kikito de melhor filme no 40º Festival de Gramado; eleito pelo público da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo como Melhor Filme Brasileiro.

No cenário internacional, venceu o prêmio de público do 27º Festival del Cinema Latino Americano di Trieste, na Itália; prêmio de Melhor Filme no festival de cinema International Disability Film Festival Breaking Down Barriers em Moscou (Rússia); exibido no Red Rock Film Festival (Utah, EUA), entre outros.

O filme é uma comédia que aborda de forma inocente e poética coisas simples da vida através do olhar de três jovens com síndrome de Down apaixonados por cinema. Um dia, inspirados pelo filme Thelma & Louise, eles resolvem fugir no Karmann-Ghia do jardineiro (Lima Duarte) em busca de seus sonhos: Stalone quer ver o mar, Marcio quer voar e Aninha busca um marido pra se casar. Eles partem do interior de São Paulo rumo à Buenos Aires. Nessa viagem, enquanto experimentam o sabor da liberdade, envolvem-se em inúmeras aventuras e confusões como se a vida não passasse de uma eterna brincadeira.

Apesar do elenco especial, o filme não tem o seu enredo voltado para o Down ou deficiência, mas aborda temas como sonhos, amizade, coragem, superação, amor, que são universais e atemporais, além de possuir uma história repleta de humor e delicadeza, oferecendo ao público uma oportunidade de ver um lado da síndrome até então desconhecido.


Sobre o diretor


Marcelo Silva Galvão, nascido no Rio de janeiro em 11 de Dezembro de 1973, passou sua infância e adolescência em Campinas e atualmente é radicado em São Paulo onde consolidou sua carreira de cineasta, roteirista, produtor e diretor cinematográfico.

Formado em Publicidade e Propaganda pela FAAP no ano de 1.996, em São Paulo, começou sua carreira como redator publicitário e estudou cinema na New York Film Academy. Como diretor de publicidade, trabalhou nas produtoras Espiralcom, TVZERO, O2 Filmes, Movie Art, Republika e Ioiô Filmes.

Desde 2.001 é sócio da produtora Gatacine. Seu primeiro longa-metragem foi “Quarta B” (2005), eleito melhor filme de ficção na 29ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo (júri popular). Foi diretor e roteirista de “Bellini e o Demônio” (2007), dirigiu também o documentário “Lado B: Como fazer um longa sem grana no Brasil” e foi diretor, roteirista e editor de “La Riña” (2008), antes de estrelar o longa metragem “Colegas”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário