Venda irregular de moradias populares já havia sido alertada por Ana Genezini em junho desse ano


À época a vereadora encaminhou ofício ao gerente regional da Caixa Econômica Federal para investigação e adoção das medidas cabíveis
Nessa semana a Prefeitura de Vinhedo divulgou nota quanto à descoberta de irregularidades na venda de duas moradias populares adquiridas por meio de sorteio realizados por programas estaduais e federais. Apesar da recente nota, ainda em junho desse ano a 1ª secretária da Câmara, vereadora Ana Genezini (PTB) já havia alertado quanto à prática durante a 18º sessão, ocasião em que encaminhou ofício à gerência regional da Caixa Econômica para que investigasse o caso.
Durante discurso na dita sessão, realizada no dia 03 de junho, Ana Genezini apresentou notícia veiculada pelo portal na internet “G1” de que a Caixa Econômica Federal apurava a venda ilegal de imóveis do “Minha Casa, Minha Vida” na Região Metropolitana de Campinas, totalizando 28 casos suspeitos e um confirmado. Além da matéria, a vereadora ainda encontrou três anúncios de venda de apartamentos concedidos pelo mesmo programa federal, publicados em jornal de circulação no Município de Vinhedo.
Frente a essas informações, a parlamentar encaminhou ofício de nº 23/2013, ao gerente regional de construção civil da Caixa Econômica Federal, Marcos Roberto Fontes, a fim de que o anúncio de venda de três apartamentos do Portal da Esperança I e II, no Jardim Bela Vista, fosse investigada para, no caso de procedência, ser tomada as medidas cabíveis. Junto ao ofício foi encaminhada cópia impressa dos anúncios de venda dos imóveis, edição do jornal de 31 de maio de 2013, e também a matéria do portal de notícias “G1”, essa última já de conhecimento da instituição financeira.
Quando debatemos aqui, diversas vezes, os critérios para o sorteio ou mesmo a necessidade de construção de novos conjuntos habitacionais, todo acreditavam que as pessoas beneficiadas realmente necessitavam desses apartamentos; como é que agora vemos anúncios com telefone de contato e preço de até 100 mil reais pela venda de moradias sorteadas pelo programa ‘Minha Casa, Minha Vida’?”, indagou a vereadora à época.
 “Não podemos deixar de solicitar a apuração de denúncias dessa gravidade,  inúmeras famílias vinhedenses sonham com a casa própria e acabam não sendo beneficiadas pelo sorteio, a venda desses imóveis é um crime contra toda população”, reforçou a vereadora.

Denúncias fundamentadas sobre venda ou repasse de imóveis de interesse popular, adquiridos por meio de sorteio, podem ser formalizadas na Secretaria Municipal de Habitação, localizada na Rua Humberto Pescarini, 374, Centro, Vinhedo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conselho de Usuários da TIM Região Sudeste

Ana Genezini pede flexibilização para abertura do comércio e apoio para famílias carentes

Ana Genezini sugere instalação de bebedouros em diferentes pontos da cidade